sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Retorno

Músicas que não levámos a Concerto

Muito tempo passou já desde o último contacto com os leitores (virtuais?) do blogue do Grupo Coral da Escola Secundária de Bocage. Cogitando sobre o tema a abordar no regresso ao seu convívio deparei, no Youtube, com dois vídeos que me deram uma sugestão para tal tema : Músicas que não levámos a Concerto.
Suponho que todos os Coros têm peças que, embora sejam trabalhadas durante algum tempo, não chegam, por razões várias, a ser levadas a Concerto. O nosso Grupo Coral não foge à regra. Quer sob a direcção do João Paulo Reya quer sob a batuta do Raul Avelãs, ensaiámos peças que não chegaram a ser ouvidas pelo nosso público.
De entre as sete ou oito peças trabalhadas com o Raul, destaco duas: Belle qui tien ma vie e Vitrum nostrum gloriosum. E destaco estas porque foram as que ouvi nos referidos vídeos do Youtube interpretadas pelo Ensemble D.E.U.M., do Canadá.
Este conjunto canadiano é formado por quatro elementos do Coro Tallis, fundado em 1977, especializado em música da Renascença de Itália e da Inglaterra, principalmente do sec. XVI. O nome do Ensemble é constituído pelas iniciais dos nomes dos seus componentes:
D de Danny (Danielda Bonaldi, soprano)
E de Ezio (Ezio Liziero, baixo)
U de Umbra (Umberto Bolzanello, tenor)
M de Martie ( Martina Bertolia, contralto)

Quanto às peças, duas palavrinhas apenas. Belle qui tien ma vie é uma pavana de Thoinot Arbeau (1519-1595), nome artístico do clérigo francês Jehan Tabouret, publicada em 1588 no seu manual de dança chamado Orchesography.
Eis, em francês moderno, a primeira das duas estrofes postas à nossa disposição (são muitas mais).
Belle qui tien ma vie
Captive dans tes yeux,
Qui m'as l'âme ravie
D'un souris gracieux
Viens tôt me secourir
Ou me faudra mourir.

Vitrum nostrum gloriosum é uma peça de autor anónimo da renascença, em estilo religioso mas cujo texto, embora em latim, é bastante mundano - é uma exaltação da bebida.

Texto em latim
Vitrum nostrum gloriosum,
Deo gratissimum.
O vitrum! Levate!
Fac, fac, bibe totum extra,
Ut nihil maneat intra.
Depone!
Hoc est in visceribus meis.
Prosequamur laude!

Tradução (do Grupo d'Homini)
Glorioso copo nosso,
Quão agradável a Deus.
Ó copo! Ergue-te!
Eia, eia, bebamos tudo
Até nada restar dentro.
Goela abaixo!
Agora já está tudo cá dentro.
Saúde!

Ouçamos, então o Ensemble D.E.U.M.

video

video