segunda-feira, 25 de abril de 2011

As últimas do nosso Grupo Coral

Foi longa a ausência mas cá estamos, de novo, com algumas (poucas) novidades.

Concerto de Ano Novo
No dia 7 de Janeiro, organizado por um dos mais recentes elementos do Grupo. o tenor Justino Esteves, teve lugar na Igreja de S. Gonçalo, em Cabanas (Palmela), o nosso Concerto de Ano Novo.
Igreja pequena mas acolhedora, público pouco numeroso, como vem sendo hábito, mas uma prestação bem conseguida com um programa igual ao do anterior Concerto de Natal.

Concerto Comemorativo do 25.º Aniversário do Grupo Coral do Centro de Cultura e Desporto da Tranquilidade
A convite destes nossos amigos estivemos, uma vez mais, no Salão Paroquial da Igreja do Sagrado Coração de Jesus, em Lisboa. Além de nós e do grupo anfitrião actuou também o Coro Clube Milennium BCP dirigido por António Leitão mestre de capela do Seminário dos Olivais. Este grupo foi, para nós, uma agradável surpresa.

Levámos 8 peças do nosso repertório: Glory to God on high (uma peça de Natal); Shine on me (um Espiritual); Balaio (peça tradicional brasileira); Chamarrita (do folclore açoriano); Jornada, Mãe Pobre e Convite ( 3 das Canções Heróicas de Lopes-Graça); terminámos com outro Espiritual, Swing Low.
Acompanhou-nos, uma vez mais, o pianista Nuno Batoca.

À semelhança do que acontecera há dois anos, fomos obsequiados, após o Concerto, com um magnífico lanche-jantar a que não faltou o bolo de aniversário. Não esqueceremos facilmente este domingo 10 de Abril.

Próxima actuação

É uma incógnita. Estamos, no entanto, preparando a Missa brevis n.º 7, em si bemol maior, de Haydn. Peça para solista, Coro a 4 vozes, 2 violinos, violoncelo, baixo e órgão ela é também conhecida como Missa breve de S. João de Deus porque foi dedicada a este santo português do sec. XV.
Nascido em Montemor-o-Novo a 8 de Março de 1495, João Cidade (ou João Cidade Duarte), filho de André Cidade e de Teresa Duarte, comerciantes de fruta, foi para Espanha aos 8 anos de idade. Aí foi pastor e soldado. A sua vida de militar parece ter sido fértil em situações de que viria, mais tarde, a arrepender-se, levando-o a abraçar a vida religiosa e a dedicar-se, de corpo e alma, a ajudar os mais carecidos. Em 1539 funda, em Granada, um hospital para doenças contagiosas e incuráveis e, mais tarde, a Ordem dos Irmãos Hospitaleiros. Veio a falecer em Granada a 8 de Março de 1550.

Beatificado em Outubro de 1630 viria a ser canonizado pelo Papa Alexandre VIII em 16 de Outubro de 1690.

S. João de Deus é o santo padroeiro dos Bombeiros.

Terminamos esta breve nota com um pequeno vídeo onde a Orquestra e o Coral Ars Musicalis e o Coral Exultate de S. Paulo, no Brasil, interpretam o Kyrie desta Missa de Franz-Josef Haydn.



video

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Natal 2010

Antes de falar no Natal aqui vos deixo duas palavrinhas sobre a última actuação do nosso Coral.
No dia 18 de Novembro, pelas 21h e 30 min., o Grupo Coral actuou no Club Setubalense a convite dos organizadores do debate "Como fazer a prevenção do cancro da mama" integrado na Tertúlia da Cultura Científica. Foi uma brevíssima actuação ( 6 Espirituais ) que mais não pretendeu que amenizar a abertura daquele debate.

Concerto de Natal 2010

É já no próximo dia 17, sexta-feira, que teremos o nosso Concerto de Natal.
Este ano iremos cantar na Igreja de S. Paulo.
O repertório não será uma novidade mas cumpriremos a tradição que é o que mais interessa.


Teremos, uma vez mais, a preciosa colaboração do pianista Nuno Batoca.

Para aqueles que não possam ir ouvir-nos aqui ficam os nossos votos de um Feliz Natal.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Retorno

Músicas que não levámos a Concerto

Muito tempo passou já desde o último contacto com os leitores (virtuais?) do blogue do Grupo Coral da Escola Secundária de Bocage. Cogitando sobre o tema a abordar no regresso ao seu convívio deparei, no Youtube, com dois vídeos que me deram uma sugestão para tal tema : Músicas que não levámos a Concerto.
Suponho que todos os Coros têm peças que, embora sejam trabalhadas durante algum tempo, não chegam, por razões várias, a ser levadas a Concerto. O nosso Grupo Coral não foge à regra. Quer sob a direcção do João Paulo Reya quer sob a batuta do Raul Avelãs, ensaiámos peças que não chegaram a ser ouvidas pelo nosso público.
De entre as sete ou oito peças trabalhadas com o Raul, destaco duas: Belle qui tien ma vie e Vitrum nostrum gloriosum. E destaco estas porque foram as que ouvi nos referidos vídeos do Youtube interpretadas pelo Ensemble D.E.U.M., do Canadá.
Este conjunto canadiano é formado por quatro elementos do Coro Tallis, fundado em 1977, especializado em música da Renascença de Itália e da Inglaterra, principalmente do sec. XVI. O nome do Ensemble é constituído pelas iniciais dos nomes dos seus componentes:
D de Danny (Danielda Bonaldi, soprano)
E de Ezio (Ezio Liziero, baixo)
U de Umbra (Umberto Bolzanello, tenor)
M de Martie ( Martina Bertolia, contralto)

Quanto às peças, duas palavrinhas apenas. Belle qui tien ma vie é uma pavana de Thoinot Arbeau (1519-1595), nome artístico do clérigo francês Jehan Tabouret, publicada em 1588 no seu manual de dança chamado Orchesography.
Eis, em francês moderno, a primeira das duas estrofes postas à nossa disposição (são muitas mais).
Belle qui tien ma vie
Captive dans tes yeux,
Qui m'as l'âme ravie
D'un souris gracieux
Viens tôt me secourir
Ou me faudra mourir.

Vitrum nostrum gloriosum é uma peça de autor anónimo da renascença, em estilo religioso mas cujo texto, embora em latim, é bastante mundano - é uma exaltação da bebida.

Texto em latim
Vitrum nostrum gloriosum,
Deo gratissimum.
O vitrum! Levate!
Fac, fac, bibe totum extra,
Ut nihil maneat intra.
Depone!
Hoc est in visceribus meis.
Prosequamur laude!

Tradução (do Grupo d'Homini)
Glorioso copo nosso,
Quão agradável a Deus.
Ó copo! Ergue-te!
Eia, eia, bebamos tudo
Até nada restar dentro.
Goela abaixo!
Agora já está tudo cá dentro.
Saúde!

Ouçamos, então o Ensemble D.E.U.M.

video

video

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Próximo Concerto

Dia 7 de Junho próximo o nosso Grupo Coral apresentará, na nossa Escola, um pequeno Concerto integrado nas festas de encerramento do Ano Lectivo a que, este ano, se deu a designação de Bocage - Dia Aberto.

Estudo de um possível cartaz

O Concerto, embora sem o tradicional intervalo, terá duas partes distintas. A primeira, será preenchida com as seguintes peças de cariz tradicional:

Balaio - Tradicional brasileira com harmonização de Heitor Villa-Lobos
Ay! Linda Amiga - melodia popular de Santander com harm. de Eduardo Martinez Tornes
Zorongo - mais um tema tradicional espanhol, desta feita com harm. de F. Vila
Senhora do Almurtão - tema popular de Idanha-a-Nova com harm. de Raul Avelãs
Chamarrita - popular dos Açores e mais uma harm. do nosso maestro.

Na segunda parte teremos sete das Canções Heróicas de Fernando Lopes-Graça, a saber:

Canção n.º 1 - Acordai! - com poema de José Gomes Ferreira
Canção n.º 2 - Jornada - idem
Canção n.º 3 - Mãe Pobre - com poema de Carlos de Oliveira
Canção n.º 4 - Convite - poema de Antunes da Silva
Canção n.º 6 - Firmeza - poema de João José Cochofel
Canção n.º 8 - Combate - com poema de Joaquim Namorado
Canção n.º 12- Canto de Paz - poema de Carlos de Oliveira.

Aqui vos deixo algumas notas despretensiosas acerca das peças que irão ser cantadas.

Balaio - De entre outras definições deste termo brasileiro ressalta a de grande cesto de palha, vime ou outos materiais usado antigamente para armazenar ou carregar mantimentos e, mais recentemente, para transportar grande variedade de mercadorias.
Musicalmente, designa uma dança conhecida entre os gaúchos cujo nome advém da forma que as saias das damas tomam quando estas se baixam depois de rodopiarem rapidamente sobre si mesmas. Essa forma faz lembrar os balaios.

Ay! Linda Amiga - Música do renascimento espanhol cuja partitura original foi adaptada a todo o tipo de agrupamento instrumental, coro a 4 vozes, coro a duas vozes com acompanhamento de piano, quartetos instrumentais ...
De autor anónimo, faz parte da coleção de partituras do chamado Cancioneiro de Palácio, alojado na Biblioteca do Palácio Real de Madrid.
O Cancioneiro de Palácio é uma antologia de canções polifónicas que eram ouvidas durante o reinado dos Reis Católicos.

Zorongo - Canto e baile populares da Andaluzia, de movimento vivo, uma das muitas variantes do flamenco. A origem da designação parece ser o estribilho característico, hoje perdido, de uma das suas primeiras letras - " Ay, zorongo, zorongo, zorongo! " . A palavra "zorongo" é de origem incerta; admite-se que, possivelmente, provenha de zaran ou saran, onomatopeias próprias do balanceado da dança, que deram origem a zarando, melodia que se canta na Andaluzia.

Senhora do Almurtão ( ou do Almortão ) - São muitas as versões desta música popular, não só Corais mas também a solo. Zeca Afonso, Dulce Pontes e Nuno Guerreiro, por exemplo, têm versões gravadas desta peça dedicada a Nossa Senhora.
Segundo a lenda, uns pastores que certo dia atravessavam os terrenos do sítio da "Água Murta", ali para os lados de Idanha-a-Nova, encontraram uma imagem lindíssima da Virgem num campo de murteiras grandes. Levaram-na para a Igreja de Monsanto mas, pouco depois, a imagem desapareceu da Igreja vindo a ser encontrada, mais tarde, no mesmo murtão em que os pastores a haviam descoberto. Respeitando a vontade da Senhora, nesse local foi construida uma capela.

Chamarrita - Baile de roda mandado, tipicamente açoriano, por vezes acompanhado por cantadores, também com múltiplas versões, variando não só de ilha para ilha mas também de freguesia para freguesia.

Canções Heróicas - São canções politicamente empenhadas, no dizer do próprio Lopes-Graça, que contribuiram para exaltar a liberdade e dar ânimo à luta contra o antigo regime.
A 1.ª versão foi publicada em 1946 com o título "Marchas, Danças e Canções - próprias para grupos vocais ou instrumentais populares". Foi apreendida pela Censura mas muitos resistentes continuaram a cantá-la em encontros clandestinos ou nos países de exílio.
Em 1960 surge uma colecçao mais alargada com o nome "Canções Heróicas, Dramáticas, Bucólicas e Outras". Esta edição destinava-se a celebrar o 50.º Aniversário da Implantação da República e foi divulgada com grande precaução entre um restrito número de pessoas.
A versão final ficou conhecida como "Canções Heróicas".

Para ilustrar musicalmente estas linhas aqui fica um pequeno vídeo de uma das peças. Como é óbvio, não é o nosso Grupo Coral que nele aparece mas creio que se trata de um grupo português.



video

domingo, 9 de maio de 2010

Tom Fettke

Ao procurar temas musicais que pudessem ser cantados pelo nosso Grupo Coral deparei com a, na minha opinião, belíssima peça da autoria de Tom Fettke. Lembram-se dele?... Vá lá... está ligado ao primeiro grande êxito do nosso Coral... Ainda não?... A estreia foi a 10 de Dezembro de 1994. É isso... a Cantata de Natal " Venha Celebrar a Criança Luz", um medley organizado por Tom Fettke, incluindo melodias de compositores célebres e originais seus, com tal mestria que o resultado era uma obra coerente e de grande significado na época natalícia.O agrado dos ouvintes era unânime. Cantámo-lo muitas vezes de 1994 a 2006. Tenho pena que a peça que aqui vos deixo, The Majesty and Glory of Your Name, não faça parte do nosso repertório. Ouçam-na. Nota: dado que o vídeo começa com uma apresentação que, para nós poderá não interessar, sugiro que arrasteis o cursor do tempo de actuação para o instante 3;23.

video

sexta-feira, 30 de abril de 2010

A mais recente intervenção do Grupo Coral

Integrado no Ciclo 30 anos 30 Coros, organizado pelo CORAL INFANTIL de SETÚBAL para comemorar o seu 30.º Aniversário, deveria realizar-se no Museu do Traballho, em 23 de Abril, um Concerto com a participação do nosso Grupo, do Grupo Vocal Da Capo, de Carcavelos, e do Coro Académico Egas Moniz, da Costa da Caparica.

Houve alterações.A 1.ª quanto ao local, que passou a ser o Auditório do INATEL de Setúbal; a 2.ª relativa aos participantes visto que o Coro da Costa da Caparica comunicou, um pouco tardiamente, a sua indisponibilidade.
O Coral Infantil de Setúbal obrigou-se a substituir o conjunto em falta e pediu-nos que reforçássemos a nossa participação com mais algumas peças. Às agendadas 7 Canções Heróicas de Fernando Lopes-Graça, junt´MOS 4 Espirituais que nos requeriam menos tempo de preparação. E assim, na passada sexta-feira 23 de Abril lá fomos ao INATEL.
A 1.ª intervenção foi a do CORAL INFANTIL com pouco mais de meia dúzia de peças, umas interpretadas a capella, outras com acompanhamento de piano.
A 2.ª prestação, mais longa, pertenceu ao GRUPO VOCAL DA CAPO.
A terminar o Concerto o nosso Grupo Coral interpretou
Shine on Me, Deep River, Till I Get There  e  Swing Low, as peças de reforço, a que se seguiram as 7 Canções Heróicas:
Acordai (n.º 1 ) , Jornada ( n.º 2 ), Mãe Pobre ( n.º 3 ), Convite ( n.º 4 ), Firmeza ( n.º 6 ), Combate ( n.º 8 ) e Canto de Paz ( n.º 12 ).
A assistência, em número razoável, pareceu-nos bastante agradada.




quarta-feira, 28 de abril de 2010

Retrospectiva-18

Ano de 2008
Este é o ano da grande mudança de Direcção. A inclusão deste projecto particular no sistema actual de Projectos Educativos, com a obrigatoriedade de ter um professor no activo a dirigi-lo, impedia a fundadora do Coral de continuar ao leme desta nau. Por outro lado, os muitos anos de labuta em prol da dignificação desta Associação, os repetidos problemas com questões de saúde dos seus familiares e a incompreensão de alguns por aquilo que foi o seu trabalho, desgastaram a Dra. Rosa Capela. Esta não se sentia já motivada para continuar com os problemas directivos mesmo que fosse noutro cargo. Quem a acompanhou compreende perfeitamente este estado de espírito.
As eleições realizadas no início do ano deram-nos uma DIRECÇÃO absolutamente renovada.

Eis os Corpos Sociais do nosso Grupo Coral então eleitos:

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL
Presidente - José Flórido e Castro da Silva
Vice-presidente - Maria Luísa Neto Fernandes
1.º Secretário - Maria Aida Caetano Silva
2.º Secretário - Maria Fernanda Machado Pinto Soares Vitorino

DIRECÇÃO
Presidente - Isabel Maria Morgado Pereira Fernandes
Vice-presidente - José Fernando Gonçalves
Tesoureiro - Fernando Manuel Ferreira Fidalgo
1.º Secretário - Vanda de Lima Torres
2.º Secretário - António Manuel Machado Pinto

COMISSÃO REVISORA DE CONTAS
Presidente - Ernesto Joaquim Soares Vitorino
Secretário - Francisco António Gil
Relator - Alina Gonçalves Fernandes

Continuemos, então, a acompanhar as andanças do Coral.

12 de Janeiro - Igreja de N.ª Sra. da Anunciada, Setúbal - Concerto de Ano Novo-
Este Concerto foi também pretexto para um convívio com o
Grupo Coral do Centro de Cultura e Desporto da "Tranquilidade" de Lisboa.

Na 1.ª Parte do Programa o nosso Grupo repetiu, quase inteiramente, o que cantou no anterior Concerto de Natal com a preciosa colaboração do Nuno Batoca, no piano, e da Cláudia Estanislau, na flauta.

Na 2.ª Parte o Grupo da "Tranquilidade", sob a direcção de Humberto Castanheira, interpretou, também, peças características da época:

Ding dong bell
- Tradicional
Dona nobis pacem - W. A. Mozart
Alleluia Cânon - Donald Moore
Jesu Salvator Mundi - Menegali
Natal de Elvas I - Pop./H. Castanheira
Natal de Elvas II (Olhei para o céu) - id.
Pastorinhos do deserto - id.
Noite Feliz - id.
Ah! Vinde todos à porfia - id.
Go tell it on the mountain . id.
Joy to the world - id.
Capa do programa distribuído pelo público

Foi um concerto agradável que só pecou pela reduzida assistência. O convívio gastronómico que se seguiu, nas instalações da Igreja e com acepipes levados pela "malta" do nosso Grupo foi, também ele, agradabilíssimo.

23 de Fevereiro - Jantar de Homenagem e de Agradecimento à Dra. Rosa Capela pelo óptimo trabalho desenvolvido à frente do Grupo Coral desde 1993

A homenagem, justíssima, decorreu no Restaurante ACALANTO e foi um pretexto de são convívio a que compareceu o maestro fundador João Paulo Reya, bem como elementos que há algum tempo, por razões das suas vidas particulares, deixaram de nos acompanhar nas cantorias.
Um aspecto da mesa do concorrido jantar
À esquerda da homenageada, a sua última vice-presidente, Dra. Antonieta Granzina Gil; à sua direita, a presidente do Conselho Executivo da Escola, Dra. Maria José Miguel e, logo a seguir a esta, a actual presidente da Direcção do Coral, Dra. Isabel Morgado.

23 de Maio - Ginásio principal da Escola

Pequena participação num Projecto de alunos do 12.º Ano.Cantou-se
Riu, riu, chiu
Balaio
Go down Moses
Somebody's Knocking at your door

? de Junho - Sala dos alunos da nossa Escola - No encerramento do Ano Lectivo
Repetiu-se o programa anterior

7 de Junho - Clube Setubalense - Concerto integrado no Ciclo "Música Filarmónica e Coral" organizado pela Câmara Municipal de Stúbal.

Noite má para concertos pois Portugal jogava com a Turquia para o Europeu de 2008 , com transmissão televisiva. Mais coralistas que espectadores.
O programa, razoavelmente cumprido e que parece ter agradado aos espectadores, foi o seguinte:
Riu, riu, chiu - anónimo espanhol do sec. XVI
Ay, linda amiga - Pop. de Santandwer/Har. de Eduardo Torner
Balaio - Trad. brasileira/Harm. de Heitor Villa-Lobos
Sra. do Almurtão - Pop. de Idanha-a-Nova/Harm. de Raul Avelãs
Chamarrita - Trad. açoriana/Harm. de Raul Avelãs
Babylon's fallin' - Espiritual
Deep River - id.
Somebody's knocking at your door - id.
Shine on me - id.
Till I get there - id
Go down Moses
- id.
Swing Low - id.
Ao piano tivemos o Nuno Batoca

Cartaz que esteve afixado na Escola anunciando o Concerto



27 de Junho - Mais uma escapadela cultural. Desta vez a Sintra para assistir a um Concerto integrado no 1.º Festival Internacional de Coros, de Sintra.
Neste Concerto, o Coro de Câmara de Setúbal, o Coro Leal da Câmara, o Coral Allegro e o Coral de Queluz, interpretaram, em conjunto, o Requiem KV626 de W. A. Mozart.
Valeu pelo agradável espectáculo e pelo passeio.
Na imagem seguinte a capa de um dos programas
11 de Outubro - Salão Nobre dos Paços do Concelho - Concerto integrado no
"Mês da Música" organizado pela Câmara Municipal de Setúbal

Este foi um Concerto duplo ( o nosso Grupo Coral + Escola de Música Lira ) cuja primeira parte, a cargo do nosso Coral, foi quase a repetição do Concerto anterior (exclui-se Ay, lida amiga, Sra. do Almurtão e Somebody' knocking at your door).
O Nuno Batoca voltou a acompanhar o Grupo.
19 de Dezembro - Igreja de S. Julião - Concerto de Natal
Programa
Riu,riu,chiu - Tradicional (sec. XVI ) - Anónimo
Gaudete - Tradicional (sec. XVI ) - Arr. de Raul Avelãs
Um doce canto vem dos céus - Tscaikovsky
O Cântico dos Magos (The Golden Carol ) - Anónimo
Eia, vamos a Belém - Melodia espanhola- Arr. de Walter Ehret
Natal Russo - Tradicional - Harm. de Raul Avelãs
Gloria, Cloria! - Villancico popular italiano - Harm. de Giorgio Golin
Natal de Cardigos - Tradicional - Harm. de Raul Avelãs
Roxozinho - Tradicional
Natal de Elvas - Harm. de Mario de Sampayo Ribeiro
O Menino está dormindo - Tradicional de Évora - Harm. de Raul Avelãs
Olhei para o céu - Tradicional de Elvas - Harm. de Raul Avelãs
Joy to the world - Arr. de G. F. Haendel
Ao piano o Nuno Batoca e na flauta a Cláudia Estanislau

Muito boa assistência e desempenho do Coro a merecer rasgados elogios.

Na falta de programas - que os não houve - aqui fica a reprodução de um dos cartazes que estiveram afixados na Escola a anunciar o evento.

E assim chegámos ao fim destas modestas crónicas que, muito resumidamente dão conta da actividade do Grupo Coral da Escola Secundária de Bocage.

Antes de baixar o pano, uma palavra de agradecimento ao nosso baixo Fernando Fidalgo. A ele, ou à sua família, se devem as fotos com que pretendemos ilustrar a narrativa.

Até sempre!

À guisa de post scriptum aqui vos deixamos a constituição dos Corpos Sociais para os anos de 2010 e 2011, eleitos em Março passado.

MESA DA ASSEMBLEIA GERAL
Presidente - José Flórido e Castro da Silva
Vice- presidente - Maria Luísa Neto Fernandes
1.º Secretário - Maria Aida Caetano Silva
2.º Secretário - Maria Fernanda M. Pinto Soares Vitorino

DIRECÇÃO
Presidente - Alina Gonçalves Fernandes
Vice-presidente - Isabel Maria Morgado Pereira Fernandes
Tesoureiro - Fernando Manuel Ferreira Fidalgo
1.º Secretário - Sara Filipa Nunes Serra Carvalho Rodrigues
2.º Secretário - António Manuel Machado Pinto

COMISSÃO REVISORA DE CONTAS
Presidente - Ernesto Joaquim Soares Vitorino
Secretário - Francisco António Gil
Relator - António José Cristóvão Rodrigues